Blog do André – O SKATE E A DISPARIDADE ENTRE O ESPORTE E A CULTURA

Todos os skatistas compartilham a liberdade e a forte emoção de andar de skate. Não existe dúvida que a prática do skate nos deixa mais felizes não importa que manobras realizar ou que modalidade pratica, mas com o passar do tempo alguns skatistas decidem buscar uma profissão e outros decidem transformar o skate a sua profissão. Não pretendo falar de skate profissional, acho até que isso pode ser um tema bem legal para um novo post, a minha ideia é falar sobre a liberdade de conceituar o skate e a impossibilidade de defini-lo.
O skate é impossível de ser definido, por que? Simplesmente que devido a liberdade de comportamento e manifestações de estilos e modalidades o skate não é coisa rígida, ele simplesmente esta sempre se transformando. Ele tem varias vertentes, não se limita a uma coisa só, ou a um grupo, uma panela ou facção e esta sempre em abolição e em metamorfose.
Mas pode ser conceituado, até porque o conceito não se trata de uma verdade absoluta. O que eu acho, ou o meu conceito ou a minha ideia de skate pode ser diferente de outras pessoa e isso é muito legal. Isso é liberdade.
Mas buscando nortear o assunto, nos dias de hoje não podemos ignorar as vertentes do skate. Não podemos ignorar como vertentes o longboard, o cruiser e nem os antigos do freestyle que durante décadas estiveram desaparecidos. Veja que legal, no Rio de Janeiro, depois da construção de varias skateparks iradas como Madureira, São Francisco, Encantado, Maracanã e até a reforma de Campo Grande, um monte de skatista voltou a andar. Gente que estava sumida por 5, 10, 15, 20 e até 30 anos. O pessoal tirou a poeira e as teias de aranha dos equipamentos velhos ou deram uma passadinha nas novas skateshops e estão voltando a ativa. Um fenômeno incrível e eles são todos skatistas, não são? Skate é para vida toda? Uma vez skatista sempre skatista? Skate é na veia?
Skate é estilo de vida. Envolve musica, roupa, comportamento. Outro dia assisti um documentário na TV e um cara reclamando da década de 90, porque os skatistas dessa época introduziram o Rap e roupas largas no skate, mas tudo é skate. Hoje a molecada do iniciante coloca funk do rio na linha do campeonato. Os tempos mudaram? Ou como diz meu amigo Bruno Funil na locução dos eventos, gente Ramones, não é marca de roupa, ta ligado? Vcs sabem o que é ramones?rs
A diferença entre o skate cultura e o skate esporte tem haver com a forma como você pratica o skate. Qual problema gostar de campeonato? Qual problema não gostar de campeonato e somente gostar de andar em praças e ne rua? Na verdade não existe nenhum problema, hoje em dia existem skateparks que inclusive imitam a rua e existem campeonatos feitos nas praças, já pensaram nisso?
O Skate Cultura é uma manifestação de skate de uma galera que deseja muito mais a liberdade do rolé. Esse estilo esta muito mais relacionado a arte. Não somente a arte do skate, mas a arte urbana, como a escultura, a pintura, o grafite, a musica, a cenografia, cinema, fotografia, etc… é formado por uma galera que nunca competiu, ou por uma galera que já competiu, mas atualmente desencanou de competições, e ainda por uma galera que esta se chegando na tribo agora e esta se enturmando.
O Skate Esporte é uma manifestação de skate de uma galera que deseja muito mais competir. Eles são skate na veia igual a galera do skate na rua. Muitas vezes eles também têm o momento de skate cultura. Mas essa galera esta em um ritimo de rolé mais pesado. Eles se divertem, mas também treinam, e apesar de negar, e até torcer pelo resultado positivo do amigo, eles se importam também com seu próprio resultado e até alguns mais que outros. Natureza humana mesmo.
O mais importante disso tudo, entre essa disparidade entre o skate cultura e o skate esporte é entender que eles existem, que são super saudáveis, e que precisam se respeitar e se proteger e se ajudar, pois ambos são skate. No fundo no fundo, mesmo sendo esporte ou sendo cultura, eles dependem da essência do skate que é a amizade, a união e o compartilhamento dessa vibe boa que une toda essa galera, independente de idade, gênero, cor, estilo ou classe social. O skate sempre foi capaz disso.

André Viana
Presidente FASERJ
Fundador do Projeto Curso de Skate
Skatista desde 1989

Adicionar aos favoritos o permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *